terça-feira, 20 de maio de 2008

um olhar de mentira

iludidos, como na aparência que persiste em enganar
razões para se começar o fim e chorar para silenciar
realmente sem sentido o que palavras às vezes dizem
realmente surpreendente o que lágrimas podem falar

o olhar brilhante, chamusca o que vejo
anseio
não precisar esperar tanto para tê-lo
quem?

não se faz necessário dizer o que já sabe
nem sempre né?
algumas vezes sim!
sorrio mesmo que falsamente para que não se apague

o brilho, chamuscante
tão vivo, tão operante
graças a o quê?
isso quem dirá é você!

Um comentário:

Débora disse...

um olhar de mentira
ou um olhar que não sabe o que vê?