terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

sabe que não sei

Um comentário:

Débora disse...

Meditações ao som de zumbi
Débora
horas quentes
deslindo seu corpo
com os olhos das mãos


a vida avisa
medo de perder
aterroriza


aguardo
o toque dos seus lábios
no meu lírio branco


seu hálito quente soprou no meu pescoço
umedeço abrindo as coxas


me abraça
você dizia
subindo e descendo no compasso certo


me deixa em desalinho
sua face na minha face
com carinho

penetra
no úmido e subterraneo
pausa dos meus sentidos

primitivos
corpos entrelaçados, dissolvidos
dois